15 junho 2017

Um mar pastel: Editorial de Moda Praia com pegada Retrô

Adorei o editorial de moda praia da Bazaar Turquia para a edição do mês de junho. Em um mar de tons pastel, a revista traz a tendência dos biquinis e maiores cada vez mais vestidos e com shape inspirado nos anos 60. Como eu estava com saudades dessa estética inocente e chic. O editorial é inspirador.

Publicação: Harper’s Bazaar Turkey (June 2017)
Fotógrafo: Masami Naruo
Stylist: Hanae Kita
Maquiagem: Sada Ito
Cabelo: Kenichi






13 junho 2017

O poder das cores




Fotografia: Pedro Martins
Produção: Lígia Nottingham
Beleza: Stéphanie Mendes
Fonte de pesquisa: Livro A psicologia das Cores, de Eva Heller


As roupas são muito mais que meros pedaços de tecido que servem para cobrir. Na nossa sociedade, vestir-se é um trabalho de criatividade e a combinação de peças cria um tipo de informação: quem você é? Com o que você trabalha? Como você está se sentindo hoje? - Entre os principais responsáveis por criar essa comunicação, está a cor. Profissionais que trabalham com elas, como os designers gráficos, arquitetos, cromoterapeutas e profissionais da moda, sabem o quanto elas afetam as pessoas e como elas podem ser importantes no nosso cotidiano. E não é por acaso. Cores têm forte apelo simbólico, estão ligadas à diversos tipos de sentimentos, estimulam, sensibilizam, tocam e comunicam.
Nesse editorial elas são protagonistas, cores básicas e fortes. E aqui estão algumas informações interessantes sobre elas.

Vermelho
Vermelho sangue, vermelho Ferrari, vermelho fogo, vermelho tomate. Do amor ao ódio, o vermelho é a cor das paixões, sua simbologia vem do sangue e do fogo. Representa o coração, o amor e o sexo... chegando ao tom do imoral. Foi a primeira cor que o homem batizou e em muitas culturas está ligada à felicidade. Na China,  assim como em outras sociedades, o vestido de noiva é vermelho. Vermelho é luxo, símbolo de status. Nos tempos medievais, leis tentavam garantir que apenas o alto Clero ou a alta nobreza, pudesses usar vermelho, e assim diferenciar as pessoas “de classe”. Na época, essa era a cor mais cara para se pintar tecidos.

Amarelo
Amarelo ouro, amarelo Correio, amarelo neon, amarelo pastel. O tom primário (que não pode ser obtido com a mistura de outras cores), é a mais clara de todas elas. Tem como simbologia universal o sol, a luz e o ouro. Não é à toa que é legada ao otimismo e jovialidade e é também vista como alegre e revigorante. Assim como o sol, é uma cor que irradia. Embora seja conectado com o ouro, não é uma cor que dá valor às coisas. Geralmente quando se quer valorizar algo, se diz que esse algo é dourado. Cabelos dourados, tom de pele dourado, um sol dourado. O adjetivo amarelo desvaloriza, como pele amarela, cabelos amarelos... Além disso, amarelo é a cor da advertência, chamativo e informativo. Não é para quem quer passar despercebido.
 Azul
Azul Klein, azul marinho, azul cobalto, azul céu. A cor mais bem aceita em todo o mundo. Tanto homens quanto mulheres adoram usar roupas nos seus tons. Para uma casa, o azul é frio, mas também tem efeito calmante. É considerada como símbolo dos bons sentimentos que não possuem paixão, é mais puro e simples, mais delicado.  Quanto mais quente for o tom de azul, mais simboliza a proximidade e a paz, quanto mais fria, dá a ideia de distanciamento. Lembra do anel de noivado da Kate Middleton? Com uma safira azul? O azul representa a fidelidade. Na moda, uma das cores mais famosas do mundo é o Azul Klein, cor patenteada por Yves Klein, um pintor que pintava seus quadros totalmente de azul. O azul também é o tom do divino, pela sua conexão com o céu, mas pode ter a conotação de frio e morte, porque nossa pele fica azul quando sentimos muito frio. Em tons escuros, como marinho ou o ultramarino, representa a inteligência.
Verde
Verde menta, verde limão, verde bandeira, verde esmeralda. O verde é a cor que possui maior número de variações, é resultado da mistura do azul com o amarelo. Sua primeira conexão simbólica é com a natureza, por isso, pitadas de verde dão a ideia de natural ou saudável, também é uma cor que acalma, nem é muito alegre, nem é triste... o que causa essa sensação de relaxamento. Por ter sido a cor de movimentos burgueses contra o domínio absolutista, ganhou a característica da cor da liberdade. Quando o sinal está verde, você já sabe, pode seguir seu caminho. Curiosidades: houve um tempo em que verde e azul não se combinavam. A teoria surgiu do círculo de cores de Goethe, escritor e crítico estético alemão (1749 – 1832). De acordo com ele, o verde era a cor da burguesia e azul a cor dos trabalhadores, e dessa forma, as “cores” não deveriam se misturar, o que significa que pessoas de níveis diferentes não deveriam se casar.