15 março 2013

Ícone fashion: Vivienne Westwood

Oi meninas!
Eu estive pensando no que/em quem seria o ícone fashion da semana e havia cogitado o movimento punk. Não sei se viram, mas suas influências apareceram, por exemplo, no desfile da Fendi na semana de moda de Milão (lindo, por sinal). Pesquisando sobre o assunto, pensei que seria melhor se eu falasse sobre a própria criadora dessa moda: a designer britânica, Vivienne Westwood.
"A estilista punk" é a definição recorrente de quem já ouviu falar no nome da inglesa. Não é para menos, levando em conta que sua carreira teve seu ponto de partida no movimento anarquista e rebelde. Nascida em 1941, no interior da Inglaterra, Vivienne mudou-se para Londres aos 17 anos. Começou a estudar moda na Faculdade de Arte de Harrow e acabou largando o curso, achando que alguém como ela não se encaixaria nesse mundo da arte (olha só, né?).
Casou-se com Derek Westwood, com quem teve um filho. Depois de divorciada, conheceu Malcolm McLaren, com quem também casou e teve um filho. E foi com ele que tudo começou. Apaixonados e inspirados pelo rock dos anos 50, montaram sua primeira loja, chamada Let It Rock. Nela, vendiam objetos e roupas estilo rock'n'roll que viria a influenciar o punk. Devido à vários problemas com o a justiça inglesa, passaram o nome da loja pra Too Fast To Live, Too Young To Die, que vendia criações de Vivienne, como camisetas com estampas pornográficas e roupas de couro, bem no estilo fetichista. Um tempo depois, mudaram o nome da loja para SEX, com um letreiro em plástico pink (quem lembra da capa do disco Never Mind The Bollocks, dos Sex Pistols?)
Além das peças criativas de Vivienne, a loja também vendia artigos de sex shop (o que era chocante pra sociedade inglesa na época). Foi então que Malcom McLaren, que era seu atual marido na década de 70, lançou a banda Sex Pistols para divulgação da loja. Mal sabiam eles que estavam dando início à uma nova revolução não só no mundo da música, mas também da moda.
Em 1980,  passado o estouro do movimento, a estilista se divorciou e fez as malas pra ir morar na Itália. Começou a dar aulas numa faculdade de artes aplicadas e conheceu seu atual marido, Marc Andréas.
Em 1981, criou sua primeira coleção, romântica e inspirada em no século XVII e XVIII, chamada Pirates. No ano seguinte, desfilou coleção influenciada na história do mundo em Paris. Tudo sempre muito extravagante e com cores gritantes.
Em 1987, fez sua primeira coleção com looks masculinos, causando polêmica por serem muito eróticos. Nos anos seguintes, continuou polemizando e surpreendendo o mundo da moda com toda sua sensualidade nas criações, criatividade e toda a bagagem de informação que suas coleções traziam.
Vivienne é símbolo da moda em Londres e até ganhou o título de Lady pela rainha Elizabeth.
Atualmente, as composições da estilista não têm mais toda aquela pegada punk de antigamente. Hoje, vemos muito brilho, romantismo, cores fortes...mas claro que uma hora ou outra sempre aparece algo que mostre o punk presente. Seja com o romantismo ou erotismo, cores fortes, rasgos, couro ou críticas sociais, aqui são alguns exemplos de criações da estilista queridinha do Reino Unido:
Vivienne no início do movimento punk e depois mais velha. Quem diria, hein?
Sid Vicious (baixista e ícone dos Sex Pistols) usando uma de suas criações. E a frente da loja SEX

 Já em desfiles, vemos a influência da história nas criações

Apesar de diferentes, muitos looks by Westwood ainda mantém traços do punk (camiseta, por exemplo)

Quem lembra da coleção da Melissa by Vivienne Westwood?

Então gente, acho que é isso. O que acham dela?
Um beijo!
Nos siga:
No Insta: @ligianottingham
No Face: Catwalk Show
No Twitter: @catwalk_show
No Pinterest: Catwalk Show


Um comentário:

  1. Só tenho uma coisa a dizer: Vivienne Westwood é MARA!!! Há tempos acompanho (da minha maneira leiga!) a moda dela, e acho incrível!!! Curto mto o jeitão "diferente" dela de ver o mundo, a transcrever isso pras roupas q ela faz... Acho demais!!! O meu post "Ícone fashion" preferido até agora!!!

    ResponderExcluir