16 janeiro 2020

Olho tudo, pele nada: as makes incríveis de Lucy Boynton


A atriz britânico-americana Lucy Boynton ganhou fama ao atuar no filme Bohemian Rhapsody e logo começou a aparecer nos tapetes vermelhos. Mas o seu rostinho (lindo!!!) passou a estampar as páginas (hoje digitais) de revistas e inundou as redes sociais por causa das suas maquiagens super originais e pasme, sem exageros.

A responsável pelas makes dela é a make-up artist Jo Baker, que junto ao estilo irreverente da atriz, tornou Lucy Boynton no rostinho mais querido do universo da moda quando o assunto é maquiagem.

O que eu mais amo nas makes dela é o foco total no olho, uma marca já registrada da maquiadora que capricha na máscara de cílios, deixando o olhar bem marcado. As cores dão destaque ao olhar junto à muito rímel (valendo também ousar nos coloridos), enquanto a pele fica super natural, ou até um pouco apática. Enquanto isso, na boca, podem vir tons claros ou vibrantes, tudo vai depender da combinação de cores e da harmonia com o todo.
“Se vou dar destaque para uma área do rosto, eu geralmente prefiro manter o resto mais simples. Eu acho que é uma maneira fácil de manter um look moderno”, explica a maquiadora Jo Baker
A maquiadora também ressalta que em uma make colorida é importante deixar a pele com uma cobertura natural, e o segredo é o corretivo em pontos específicos. Isso previne que a make acabe parecendo pesada demais ou, até mesmo, teatral.

O mais legal é que as makes dela são mais interessantes e criativas do que exageradas, então são perfeitas para servir de inspiração. Além de que todas têm um pezinho no vintage. Não é o máximo? Eu escolhi 11 makes dela que são apaixonantes. Dá só uma olhada!











14 janeiro 2020

Desejos de ano novo: vem 2020!

Como diz o meme da internet, "eu acho que 2020 vai ser bom porque é um número bonito... tem design". (rs)

Eu não sei vocês, mas eu sou daqueles que adora ritos de passagem, e portanto, amo viradas de ano e levo super à sério essa coisa de fazer listas e sonhar com as conquistas.

E não sei se é porque 2020 é de fato um número bonito, mas realmente estou mais empolgada nesse ano do que nos últimos. 2019 foi de muito amadurecimento, e como muitos de vocês devem saber, crescer dói.

Acredito que 2020 será o ano de colher os frutos de muitas escolhas que fiz e desse crescimento interno.

Uma das coisas que eu percebi que me faltou no ano que passou foi disciplina, por isso escolhi essa palavra para ser o meu mantra e o meu caminho para alcançar todos os objetivos dessa lista abaixo.

Let's do it!

19 dezembro 2019

O vestido mais vendido da Zara




Você já conhece o vestido da Zara mais famoso em todo o mundo? É esse aí de cima: um modelo midi com gola careca, mangas longas e uma padronagem "poá"(de bolinhas) com fundo branco e bolinhas pretas.
A peça foi um sucesso absoluto no verão europeu, tanto que ganhou até um instagram só para ele. O perfil @hot4thespot , hoje com mais de 26 mil seguidores, se dedica a compartilhar imagens nas quais o "danado"do vestido aparece. Londres, Paris, Nova York... em todo o mundo existe alguém usando o modelito, isso quando não tem várias mulheres dividindo atenções com o mesma padronagem "polka dots" em um só lugar. O modelo parece estar em todo lugar, inclusive num encontro com membros da família real britânica, William e Kate.  Pasme!


 O sucesso do vestido

Mas porquê esse vestido fez tanto sucesso? Você deve estar se perguntando...
1. Em primeiro lugar, o modelo parece ter agradado a Gregos e Troianos. A peça tem uma modelagem básica que funcionou para jovens e mulheres mais maduras; gordas e magras e parece ter uma versatilidade, podendo ser usado de diversas formas.
2. O segundo motivo foi o fato de que empresa conseguiu reagir rápido ao repor as peças que logo se esgotaram das araras.


Porque adoramos nos vestir uns iguais aos outros?

Se você tem esse vestido, talvez se sinta um pouco constrangida ao perceber que a sua peça está em todo lugar. E se você não tem, existem praticamente duas opções: 1. Você se pergunta porque as pessoas se vestem sempre tão iguais ; 2. Você tem vontade de também ter um desses para você e se juntar ao grupo.

A verdade é que, quando compramos uma roupa ou uma marca, na verdade estamos à procura de entrar num clube, numa tribo, ou ser reconhecido dentro de um grupo. Certos tipos de roupas nos qualificam para transitar em ambientes, ou entre certas pessoas, nos qualifica, no sentido de nos emprestar qualidades.

Já a marca, é um selo dessa qualidade, uma garantia de que estamos indo no caminho certo. A marca é um promessa, um ticket de entrada à certos grupos e ambientes. Por isso compramos marcas, além de roupas, produtos e serviços, e por isso nos vestimos de forma parecida.

Por outro lado, não queremos comprar marcas que nos desqualificam, ou que nos colocam frente à frente com um grupo de pessoas que nos parece inferior ou que simplesmente não nos identificamos. Dessa forma, não queremos usar certos tipos de roupas ou marcas.

Além disso, somos levados a pensar que precisamos ter uma personalidade forte e diferenciada, pois somos únicos e especiais, e por isso, não queremos nos vestir como todo mundo.

A realidade é que, sob os nossos ombros pairam um anjinho e um diabinho. Um diz que devemos nos vestir iguais, outro diz que devemos nos vestir diferente... e o resultado do estilo de cada pessoa é um balanço entres o dois, um equilíbrio (que pode pesar mais para um lado ou para o outro) que gera pertencimento à certos grupos e ao mesmo tempo, uma ideia de identidade personalizada.

20 novembro 2019

NEO MINT: 17 looks com a cor do verão 2020


O verde menta têm aparecido em coleções internacionais a cerca de três estações, desde os desfiles de primavera/verão 2019, mas foi quando a Pantone fez a previsão dos tons de azul e verde como tendência para o verão do ano de 2020, que o tom "Neo Mint" se confirmou de uma vez por todas como tendência.
De acordo com o Instituto Pantone, as cores azul e verde, juntas, representam a natureza, além disso, trazem serenidade e conforto. De acordo com a vice-presidente da empresa, Laurie Pressman, o ritmo cada vez mais acelerado está levando as pessoas a buscarem mais momentos no conforto da casa ou em contatos com a natureza.

O tom "Neo Mint" têm marcado presença tanto em desfiles e campanhas - como Temperley London, Zendaya, Derek Lam e Arezzo (em parceria com a Pantone) - como no street style.

1. MONOCROMÁTICO
Em sua versão mais clássica, a cor tinge todas as peças de um look em composições monocromáticas.

 2. MINT + PINK
Combinado com o pink, o look fica mais iluminado e o verde fica mais destacado. É uma proposta mais fashionista e mais alegre.

3.  MINT + LAVANDA
O lilás clarinho, que nesta estação ganha o nome de "lavanda", faz uma coordenação leve e fresca com o verde da vez.


4. MINT + AZUL
Assim como o lavanda, o azul faz quase que uma composição tom sobre tom, criando uma linguagem estética atraente aos olhos. Para criar um look mais doce, o ideal é usar o "ice blue", termo usado para esse tom de azul bem clarinho. Para destacar mais o tom do verde menta já é melhor apostar num azul royal, também chamado de azul klein.

25 setembro 2019

O mundo de sonhos de Tim Walker no V&A

O fotógrafo Tim Walker em ação
O fotógrafo britânico Tim Walker acaba de abrir o seu mundo extraordinário para os visitantes do museu Victoria&Albert, em Londres.
Para quem ainda não conhece, o fotógrafo é conhecido como "o contador de histórias" por suas imagens produzidas em cenários cinematográficos e dramáticos, que levaram a imagem e a linguagem da moda à um nível muito mais artístico.

ESTILO FOTOGRÁFICO

O seu estilo é facilmente reconhecível pelo exagero nas proporções e a dramaticidade do corpo humano, usando em seus modelos maquiagens e acessórios que os deixam com aspectos hora andróginos, hora monstruosos.
O universo de sonhos e o mundo das maravilhas de Walker geralmente têm um toque (ou um exagero) do estilo underground com referências góticas. A linguagem de moda do fotógrafo é construída sob o universo fantástico e grotesco, reverenciando um estilo que desafia os limites do belo.

  • Vogue UK (britânica) - Dezembro 2016 © Tim Walker

Uma das salas de exposição no Victoria&Albert 


LUXO REPAGINADO

Embora seu estilo esteja mais para o dramático, em editorias para a Vogue UK e outras edições de revistas de moda mais tradicionais, o fotógrafo aposta em cenários mais sofisticados, alegres e que remetam mais ao luxo.
  • Vanity Fair - Março 2017 © Tim Walker



Olga Shearer on blue horse Sennowe Park, Norfolk, 2007 © Tim Walker

TRABALHOS COMERCIAIS

Tim Walker também é cotado constantemente para trabalhos comerciais. No ano passado, por exemplo, ele foi responsável pelas fotos do Calendário Pirelli (2018), hoje um dos principais projetos fotográficos do mundo. 
Um dos seus trabalhos mais recentes foi a campanha da marca americana Kate Spade. 
Calendário Pirelli 2018 © Tim Walker

Campanha Kate Spade Primavera/Verão 2019  © Tim Walker

EXIBIÇÃO

Para a sua exibição no Victoria&Albert, Tim Walker uniu trabalhos antigos à editoriais exclusivos, produzidos para a amostra e inspirados no próprio museu. Além de imagens, a exibição traz os cenários em que foram produzidas as fotos e objetos utilizados nas produções, além de trazer obras de arte que serviram de referência para os pensamentos extraordinários do fotógrafo.

Data: setembro à março de 2020.
Local: Museu Victoria&Albert, Londres.

(Imagens abaixo: divulgação)